A importância da Psicomotricidade no desenvolvimento | Theralab Fisioterapia Neurofuncional

Blog

Blog Notícias

14

AGO 2019

A importância da Psicomotricidade no desenvolvimento

TheraLab | Tags: Therasuit, Fisioterapia, Psicomotricidade, Florianópolis

A Psicomotricidade

 

Qual seria a definição dessa palavra? Se formos dividir psico/motricidade, ao grosso modo de pensar seria o pensamento da ação. É exatamente isso! É a ação do sistema nervoso central que cria uma consciência sobre os movimentos que realizamos através dos padrões motores, como a velocidade, espaço e o tempo.

A Psicomotricidade nada mais é que se relacionar através da ação, com uma união do ser corpo, o ser pensante, o ser alma, o ser natureza e o ser sociedade.

A origem da palavra "psicomotricidade" vem do termo grego psiché = alma e do verbo latino moto = mover frequentemente, agitar fortemente.

O filósofo e médico Henri Wallon iniciou esses questionamentos com a publicação de sua tese de doutorado em 1925 com o título: A criança turbulenta. Seguiu estudando o comportamento infantil e em 1945 publicou o livro “Origens do pensamento da criança”, com uma discussão e excelentes estudos sobre a sociedade, esta ser uma “necessidade: que irá determinar o desenvolvimento e por consequência a inteligência da criança". Tem uma frase famosa que diz: “entre o individuo e o meio há uma unidade indivisível”, quantas vezes já ouvimos ela?!

Outro grande estudioso sobre a psicomotricidade foi Jean Piaget que sugere em seus artigos que a primeira linguagem que a criança compreende é a linguagem do corpo para então conhecer a linguagem da ação. O bebê aprende com os reflexos primitivos os movimentos que o corpo dele é capaz de fazer, involuntariamente, para criar uma consciência da vontate e atitude da ação.

Quais os elementos da psicomotricidade?

- Coordenação geral e fina: nossos grandes atos motores (caminhar, correr, saltar) e também habilidade finas como pintar, desenhar, bordar.

- Equilíbrio: se desenvolve de estático para dinâmico, bipodal para unipodal.

- Esquema corporal: esse processo nunca está completo pois estamos crescendo (alguns envelhecendo) a cada dia. É como nos identificamos, as dimensões do nosso corpo.

- Lateralidade: predomínio de um membro para escrever ou chutar bola, percepção da linha central – aquisição do elemento equilíbrio. Percepção de simetria para auxiliar na percepção espacial.

- Organização espacial: Se forma através da tentativa e erro. É a possibilidade de organização perante o mundo que nos cerca. Importância da criança ter suas próprias experiências. Ter noção de direção (cima, baixo, frente, traz, ao lado) e de distância (longe, perto, curto, comprido) em integração.

- Organização temporal: ritmo, velocidade, tempo. Totalmente relacionada com a percepção espacial, e a importância dos sistemas: auditivo, visual e tátil-proprioceptivo. A noção de tempo está intimamente ligada a afetividade.

Além desses sete serem os mais discutidos, hoje já estão inclusos a postura, respiração, relaxamento e alguns outros.

 

 “O indivíduo é social não como resultado de circunstancias externas, mas em virtude de uma necessidade interna”. Henri Wallon

Trindade - Florianópolis, SC

(48) 99988-5776